Cultura

Casos de Minas

Senac
  • Logo Senac Minas
  • Hotel Grogotó
  •  

Vistoria I

  • Nada mais vi a não ser um recibo de bezerros mamando a 200.
  • A casa de farinha não foi para frente porque o mutuário deu para traz e nunca mais se levantou.
  • O reprodutor “Marco Pólo” e a vaca “Tereza” foram vendidos ao Sr. José Airton que está pronto a esclarecer o assunto pela importância de Cr$ 10.000,00.
  • O imóvel está uma boneca. Exemplos como estes devem ser imitados.
  • Cliente aguarda a capilaridade pluviométrica da zona para efetuar o mister.
  • Fui atendido na fazenda pela mulher do mutuário. Segundo soube ninguém quer comprá-la e sim explorá-la.
  • Comprovei 4 tarefas de banana em estado sanitário nos fundos do quintal.
  • É um velho intrangizente, e pouco digno ao mister.
  • O burro novo é bem mais moderno que o contratual, pelo de raio branco.
  • Disse que quando fizer bom tempo fará o curral feito o do vizinho.
  • A fazenda foi vendida pelos olhos da cara, mas só na promessa.
  • Sugiro ao Banco seqüestrar os animais financiados. (mas como seqüestrar animais já mortos?)
  • Imóvel de difícil acesso. O mato tomou conta de tudo, deixando só uma vaga para passagem de animal rasteiro. Vistoria frustrada.
  •  Mas, mais não encontrei.
  • O cavalo estava ajudando nos serviços da fazenda. Ele liquidou o financiamento com a mandioca particular que está sendo carregada para a casa de farinha do vizinho.
  • Se não fosse o sol, tudo indicava que a chuva aumentasse a safra.
  • Desconfio que o mutuário está com intenção de pagar o débito.
  • Cliente faz roçado juntamente com a mulher.
  • Achei uma coisa horrível o serviço. Tudo realizado ruim. Cliente vive devidamente bêbado e devendo aos bares e a Deus a ao mundo.
  • O mister não foi feito, faltando completar com dinheiro dele, que gastou em farras e comprou um jipe de refugo, com parte.
  • Levou vários tiros na trazeira dados por um tal de Bamba, que perfazeu um total de dois buracos, indo para o hospital.
  • Está havendo uma troca de fazendas dando prejuízo ao Banco com títulos protestados e tudo e ele nem liga.
  • A euforbiácea foi substituída pela musácea sem o consentimento da carteira precisando de começar tudo de novo e orientar o serviço.
  • Pediu para eu ficar e depois viajou em seguida... isso pareceu mais uma brincadeira de homens sem responsabilidade.
  • Botei os dois para dizer a verdade e vi que tudo não se passava e uma tragédia, aliás comédia.
  • A mulher dele está botando banca na feira do 100. O dinheiro mal dá para comprar pessoais.
  • O trator está todo sujo e quebrado valendo CR$ 10.000,00. Se Fizer um conserto em firma especializada e dando óleo nele pode valer uns 5.
  • Fui a Capital e vi a situação com títulos protestados e devendo muito com uma fazenda boa desta sem querer paga o contrato. Minha opinião é botar em juízo e recuperar tudo nos tribunais.
  • Parece que o tempo castigou a região. O sol acabou com a farinha e a chuva o feijão.
  • O mutuário foi para São Paulo para melhorar de vida. Quando voltar vai liquidar com o Banco.
  • Vistoriei um cavalo moderno, pelo de rato, que se encontrava trabalhando para o mutuário.
  • Disse que quando fizer bom tempo, fará o curral, com o material comprado e as pontas feito.
  • As garantias permanecem em perfeito estado de abandono e conservação. Mutuário mantém vida privada na fazenda.
  • A erradicação da plurieuforbiácea carece das condições pluviométricas em tela.
  • Concluiu toda a área programada no orçamento, faltando apenas concluir 4 tarefas que fará por conta própria.
  • O sol castigou o mandiocal. Se não fosse esse gigante astro as safras seriam de acordo com as chuvas que não vieram.

Enviar link