Cultura

Casos de Minas

Senac
  • Logo Senac Minas
  • Hotel Grogotó
  •  

Vistoria II

· Fez a cancela pelo lado direito impedindo a passagem de animais de grande porte que comem fora da propriedade. Por isso vacas magras e de berne a toda hora.

· O trator encomendado refugou um pouco e será trocado por esteira.

· Mutuário vem tratando o gado como porco. Não lhe passa um germicida sequer e come tudo no chiqueiro de bodes emprestado.

· Acho bom o Banco suspender o negócio do cliente, para não ter aborrecimentos futuros.

· Vendeu a casa a velha e passou para a nova.

· Mutuário triste e solitário pelo abandono da mulher não pode produzir.

· Vistoria perigosa. As chuvas pluviais da região inundaram o percurso que foi feito a custo.

· O animal é voluntarioso e bem difícil. Caiu um dia da ribanceira machucando dois quartos.

· Trajeto feito a pé, porque não havia animal por perto. Despesa grátis.

· Mutuário tem condições para efetuar o mister. É livre e de bons costumes.

· O contrato permanece na mesma situação da vistoria anterior, isto é, tá faltando fazer as cercas que ainda não ficaram prontas.

· Foi a vistoria feita a lombo de burro com quase 8 quilômetros.

· Está vendendo em barraca emprestada de dia e de noite fazendo coisa boba.

· Comprovei a compra e uma farmácia mas uso sendo de boca.

· A máquina elétrica financiada é toda manual e velha.

· Fez a divisão sem o favorecimento a parte.

· Financiado executou o trabalho braçalmente e animalmente.

· O gado está gordo e forte mas não é o financiado e sim emprestado para fins de vistoria que abri o bico.

· Curral todo feito a caprixo. Bem parecendo um salão de baile a fantasia.

· Quem não vê cara não vê coração. Mutuário muito forte sofrendo dores no pulmão. Vai a uma clínica especializada no mister.

· Não a bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe; ele vai terminar sendo executado pelo Banco.

· O gerente da agência devia ir ver lá a pouca vergonha do café estocado no inverno e ter que suspender o cliente.

· COBRA - Comunico que faltei ao expediente do dia 14 em virtude de ter sido mordido pela epigrafada.

· Visitamos um açude nos fundos da fazenda e depois de longos e demorados estudos constatamos que o mesmo estava vazio.

· Os anexos seguem em separado.

· O cliente possui 63 há. De terras, registradas, uma casa de tijolo sem reboco e uma de taipa, além de alguns animais cuida de meia.

· A lavoura nada produziu. Mutuário fugiu montado na garantia subsidiária.

· Era uma ribanceira tão ribanceada que se estivesse chovendo e eu andasse a cavalo e o cavalo escorregasse, adeus fiscal.

· O mutuário vendeu o touro financiado porque o mesmo estava frouxo, trocou-o por um mais potente.

· Seu filho nos disse que seu pai certamente irá quitar seus débitos.

· Chegando na fazenda do Sr. Pedro Jacaré e não encontrando o réptil...

· Tendo em vista que o mutuário adquiriu aparelhagem para processar inseminação artificial, e que um dos touros holandeses morreu, sugerimos que se fizesse o treinamento de uma pessoa para tal função.

 

Enviar link