Cultura

Entrevistas

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

Wilson Sideral - Março 2010

  • Cantor, compositor e músico Wilson Sideral - Divulgação/Usina Mix

Faltando pouco para completar seus 10 anos de carreira, o cantor, compositor e músico mineiro Wilson Sideral prepara a gravação de seu DVD e diz que terá participações especiais.

"Tocar em casa é diferente, o público mineiro viu o trabalho começar, crescer, amadurecer e compartilham comigo as conquistas do reconhecimento. É como se fizessem ‘parte da banda'!"

Por: Daniel Souza e Gabriela Sthefânia

Descubraminas: Como foi sua infância em Alfenas? Porque e quando veio para Belo Horizonte?
Wilson Sideral:
Tive uma infância maravilhosa como a de todas as pessoas do interior. Jogava bola na rua, ia para fazenda dos meus tios. Curtia a calma e a paisagem de uma típica cidade de interior... A decisão de mudar para BH veio com a vontade de me tornar um músico profissional, já tocava nas noites no Sul de Minas, mas as oportunidades numa cidade grande, especialmente na Capital, são bem maiores e foi a melhor decisão que tomei, amo BH!!!

DM: Como foi seu primeiro contato com o mundo musical?
WS:
Cresci ouvindo boas músicas, minha família têm ‘uma veia musical' forte. Meus tios todos tocam violão e cantam muito bem, são artistas que não tiveram uma chance, mas eu e meus irmãos: Flausino e Landau, de certa forma estamos representando e realizando o grande sonho deles.

DM: Quais são suas influências musicais?
WS:
Cresci ao som de muita coisa, Jovem Guarda, MPB, Clube Da Esquina, mas o que mais me influenciou foi o ‘Rock Brazuca' dos anos 80, bem como a música negra americana (Soul, Blues, Funk) e música pop de maneira geral.

DM: Você possui dois álbuns lançados por seu selo independente. Quais pontos positivos e negativos que você vê neste tipo de produção?
WS:
Como ponto positivo, sem dúvidas é a liberdade criativa. Tenho total liberdade, desde o conceito ao repertório, passando pela capa e divulgações não convencionais como a internet. Já a maior dificuldade do mercado indie é com relação a distribuição dos discos e/ou DVDs.

DM: Qual canção feita por você é um marco em sua vida?
WS:
A canção "Fugindo De Mim" é, até agora, a música mais importante e também a de maior repercussão, pois, além de ter sido meu primeiro single totalmente independente, a canção se tornou um ‘hit' de ótima execução em rádios, grandes acessos aos vídeos no Youtube, além de ter sido tema do casal protagonista de "Malhação" - Rede Globo. Tenho imenso carinho por essa música.

DM: Qual e de quem foi o maior elogio que você já recebeu durante sua carreira?
WS:
Quando lancei o álbum "Dias Claros", meu mais recente trabalho, recebi críticas positivas do mestre Nelson Motta, isso me deixou realmente contente por se tratar de um grande conhecedor da música pop no Brasil e de um compositor de músicas que eu adoro.

DM: Na internet você tem um fã clube chamado "Irmandade Sideral". Como é a sua relação com os fãs?
WS:
Minha relação com as pessoas que admiram meu trabalho é sempre de igual pra igual, são pessoas que eu respeito muito e alguns se tornam meus amigos com o passar do tempo. É muito bom ser querido pelas pessoas.

DM: Você já realizou shows por todo Brasil. Existe alguma diferença entre o público mineiro para os demais?
WS:
Puxa... Tocar em casa é diferente, o público mineiro viu o trabalho começar, crescer, amadurecer e compartilham comigo as conquistas do reconhecimento. É como se fizessem ‘parte da banda'!

DM: Em seus shows tem alguma música que não pode deixar de ser tocada?
WS:
Ah! "Não Pode Parar". Foi a primeira música minha a tocar nas rádios, marcou uma época boa... Tem até uma história engraçada de quando, pela primeira vez, não vi e pulei esta música do repertório. Ao final do show, o contratante ficou super bravo, pois a esposa dele era fã dessa música, ficou o show inteiro esperando e eu não toquei... Deu a maior confusão, foi sem querer, mas não faço isso nunca mais... (risos).

DM: Existe algum palco ou cidade que você tem vontade de fazer um show, mas ainda não o fez?
WS:
‘Taí', uma boa pergunta. Existem algumas cidades que eu adoraria tocar e ainda não rolou, uma delas é Manaus-AM, seria mágico conhecer a maior Floresta Tropical do Mundo, o "Pulmão do Planeta". Eu chego lá... E parece que vai ser em Abril agora!

DM: Em seu site verificamos que você está nos preparativos para a gravação do seu primeiro DVD "Ao Vivo", comemorando os 10 anos do lançamento de seu primeiro álbum. O que o nosso internauta pode esperar? Vai ter convidados, regravações...? Existem outros projetos para o ano?
WS:
É verdade, estamos agora nos preparativos e o DVD deve ser gravado no próximo mês de Julho. A ideia é celebrar esses 10 anos de estrada gravando as canções mais importantes até aqui, músicas inéditas compostas especialmente para esse projeto e algumas releituras que eu sempre gosto de tocar. Quanto aos convidados, sim, estarão lá, mas não posso ainda revelar os nomes... Segredo!!! (risos).

DM: Quais músicas mineiras você recomenda para nossos internautas?
WS:
Todas as canções do Clube Da Esquina, o som dos meus ‘brothers' do Skank, 14 Bis, Jota Quest, Beto Guedes, Fernanda Takai e Pato Fu, Lô Borges, Tianastácia, Tizumba, Manitu, Pedro Morais, Mariana e André Valadão, Bauxita e Código B, César Menotti & Fabiano, Virna Lisi, Vander Lee... ‘Vixe', quanta gente boa nessa terra, independente do estilo, a mineirada detona!!!
 

Enviar link

Outras entrevistas