Cultura

Manifestações Culturais Tradicionais

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

Festa de Santa Rita

O dia 22 de maio já se tornou data primordial no calendário de inúmeros fiéis. Este é o Dia de Santa Rita. Conheça mais sobre esta que é uma das santas mais populares de Minas Gerais e do Brasil.


Dia 22 de maio: Dia de Santa Rita de Cássia
Santa Rita de Cássia é festejada em 22 de maio, dia de sua morte. Ela faleceu no ano de 1457, de tuberculose, com 76 anos


Ela é a protetora das causas impossíveis, problemas difíceis em família além de também ser a protetora das viúvas. Ela é considerada uma das santas mais populares do Brasil, assim como São Judas Tadeu, ambos, protetores das causas impossíveis.


Santa Rita de Cássia é venerada na Itália, Portugal, Espanha, França, Venezuela, Argentina, Estados Unidos, e em vários estados brasileiros.


Cidades mineiras onde os festejos de Santa Rita de Cássia são mais significativos:
Durante os festejos, os devotos homenageiam-na com rosas de todas as cores.


Na maioria das cidades históricas existem imagens barrocas de Santa Rita de Cássia. Estas imagens fazem parte do conjunto de imaginárias dos retábulos laterais das igrejas.


Belo Horizonte
Paróquia de Santa Rita, no bairro São Pedro, região Centro-sul.


Cássia
Cada devoto de Santa Rita que visita o Santuário nesta cidade recebe, gratuitamente, um kit de Santa Rita e um botão de rosa. Em todo dia 22 de cada mês é realizada uma missa especial com novena perpétua em louvor a Santa Rita.


Cataguases
Nesta cidade está localizado o maior santuário de Minas em homenagem a Santa Rita de Cássia. Sua arquitetura, no estilo moderno, tem projeto de Edgar Guimarães do Valle. O santuário foi inaugurado em 1968. A fachada possui um painel de Djanira, contando a vida de Santa Rita. Em seu interior, os fiéis podem admirar o mural de Nanzita, intitulando "A Via Crucis de Jesus Cristo".



Ritápolis
No dia 22 de maio de 2003, a Igreja de Santa Rita de Cássia foi elevada à categoria de Santuário.


Os devotos de Santa Rita, em Ritápolis, organizam o Jubileu de Santa Rita de Cássia. Durante a passagem da procissão, no dia 22 de maio, os fiéis fazem a distribuição de bênçãos com a relíquia de Santa Rita. Esta relíquia é um pedaço do tecido da roupa da santa trazida de Roma, pelo frei holandês Gotardo Boom, na década de 70.



Ouro Preto - Distrito de Santa Rita

O distrito de Santa Rita realiza uma festa que mobiliza a região. Como toda festa tradicional, os fiéis fazem o levantamento de mastro, leilões, barraquinhas, novena, missas e pagamento de promessas. No dia principal da festa, a procissão é composta por carros alegóricos com as principais cenas da vida de Santa Rita. Quem acompanha, admira o bom gosto da decoração e do vestuário dos personagens.


A igreja do distrito recebeu uma imagem doada por um devoto, vinda de Cássia, na Itália, como pagamento de sua promessa.


Santa Rita de Caldas
O Santuário de Santa Rita de Caldas tem um fac-símile (réplica idêntica) do verdadeiro corpo de Santa Rita de Cássia, que se encontra em Cássia, na Itália, e ainda, uma relíquia ex-corpore de Santa Rita. Milhares de fiéis de todo o Brasil passam por Santa Rita de Caldas anualmente, para pedir e agradecer as graças alcançadas, por intercessão de Monsenhor Alderigi e Santa Rita.


Outras cidades
Guarda Mor
Medina
Sabará
Santa Rita de Jacutinga
Santa Rita de Minas
Santa Rita do Ibitipoca
Santa Rita do Itueto
Santa Rita do Sapucaí
Ubaí (Santa Rita de Cássia é a Padroeira do município)
Uberaba


Saiba Mais
A História de Santa Rita de Cássia
Santa Rita de Cássia nasceu na Itália, em Rocca Porena, próxima de Spoleto, Úmbria, em 1381.


Filha de pais idosos, Antônio Mancini e Amata Serri, recebeu a primeira eucaristia na Igreja de Santa Maria dos Pobres, em Cascia. A menina Rita queria ser freira da Ordem Agostiniana.


Desde a mais tenra idade tinha devoção por Virgem Maria, São João Batista e Santo Agostinho. Seus pais prometeram-na em casamento, ao Sr. Paulo Ferdinando, o qual ela aceitou a contragosto. Casou-se aos doze anos. No início do casamento, ele mostrou-se um homem bom, porém, com o passar dos anos, tornou-se cruel, violento e infiel.


Com suas orações, fé e confiança em Deus, ela o converteu e o fez mudar de vida. Viveram juntos por 18 anos e tiveram dois filhos gêmeos - Tiago e Paulo.


Seu marido foi assassinado por inimigos antigos. Os gêmeos, na época com 14 anos, queriam vingar a morte do pai. Para que seus filhos não tornassem assassinos, ela fez suas orações e suplicou a Deus que, caso eles perseverassem a idéia de vingar a morte do pai, preferia vê-los mortos. Algumas historias dão conta de que os dois adoeceram e morreram em menos de um ano.


Logo depois que enviuvou e perdeu os filhos, Rita decidiu entrar no mosteiro de Santa Maria Madalena. Procurou a Ordem das Agostinianas e solicitou à Madre Superiora seu ingresso no convento. A administração recusou porque ela não era mais virgem e era viúva.


Rita continuou a rezar e pedir a Deus para que a administração do Convento a aceitasse. A paranormalidade sempre esteve presente em sua vida.


A fé da então viúva Rita era tão grande, que em 1.413, em seus momentos de oração, entrou em êxtase e apareceu dentro da capela do convento, apesar das portas estarem trancadas. A Madre Superiora e as demais irmãs ficaram muito admiradas pelo ocorrido e chegaram à conclusão que Deus, queria que Rita fosse aceita na Ordem.


A partir deste momento, Rita passou a fazer inúmeras caridades, penitências e vivia em orações. O episódio do processo de transposição de seu corpo para dentro do convento correu de boca em boca pela região.


Inúmeros fatos comprovaram a sua santidade e espírito muito elevado. Dentre eles destacam-se:

1) Desconfiança da Madre Superiora
A Madre Superiora quis provar a fé de Rita e mandou-a regar um velho pé de uva que já estava seco. Depois de um ano, os galhos da videira começaram a brotar e produzir uvas de ótima qualidade. Ainda hoje, a videira continua produzindo, para observação de todos que visitam o convento.

Rita, em seus momentos de oração, meditava sobre os sofrimentos que Cristo passou no Calvário. Enquanto meditava, surgiram inúmeras feridas em sua testa e na cabeça, como que tivesse colocado uma coroa de espinhos, lembrando os estigmas da coroa de espinhos de Jesus.


2) Ano Santo
Em 1450, o Papa Nicolau V, proclamou o Ano Santo. As freiras tiveram oportunidade de ir a Roma e Rita também teve vontade de acompanhá-las. . Seria a oportunidade de receber as indulgências plenárias - perdão de todos os pecados - mas, devido às feridas que cheiravam mal, não poderia ir. Rezou e pediu a Jesus que as curasse para que pudesse viajar. E conseguiu tal milagre! Os ferimentos curaram e ela participou da peregrinação. Quando retornou, os ferimentos da testa voltaram a aparecer e ficou com ela até a sua morte.


3) Rosas
Rita encontrava-se muito mal de saúde e recebeu a visita de uma parenta que vivia na sua terra natal. Quando a parente ia embora, perguntou ‘a Rita o que ela queria de sua terra, quando voltasse para uma nova visita. Santa Rita lhe disse:

- Traga-me rosas.
A parenta respondeu:
- Rita, estamos no inverno. Impossível ter rosas nesta época!
- Vá e encontrarás o que lhe peço, disse Santa Rita.


Quando a parenta chegou a sua casa, encontrou em meio à neve, a roseira toda florida. Ela colheu as rosas e voltou ao convento para entregá-las. Rita agradeceu, tomou um galho e plantou próximo ao Convento.


Esta roseira, até hoje, produz rosas e as freiras colhem as pétalas distribuindo-as para os fiéis, que visitam o convento.


4) Sinos
No dia da morte de Santa Rita, os sinos do convento tocaram sozinhos. Reza a tradição que seu corpo não se desfez com o tempo. Ele está dentro de um caixão de vidro, no Mosteiro Agostiniano, na cidade de Cássia, na Itália.


O Papa Urbano VIII a beatificou em 1627 e Leão XIII a declarou Santa em 1900.

Enviar link