Cultura

Artes

Senac
  • Logo Senac Minas
  • Hotel Grogotó
  •  

Henfil

Henrique de Souza Filho


Cronologia
Nasceu: 05 de fevereiro de 1944
Faleceu: 04 de janeiro de 1988
Natural de Ribeirão das Neves/MG


Formação
Curso noturno e supletivo - Colégio Arnaldo da Ordem do Verbo Divino.
Curso superior de Sociologia: cursou apenas dois meses.
Especialização em ilustração e produção de histórias em quadrinhos.


Atividades
Cartunista, quadrinhista, jornalista, caricaturista e escritor.
Atuou no teatro, cinema, televisão.
Colaborou com o jornal O Pasquim, em 1969.


Trajetória de vida
Participou dos movimentos políticos e sociais no Brasil contra a ditadura, pela democratização do país, anistia aos presos políticos e Diretas Já.

Renovou as histórias em quadrinhos brasileiras com os seus desenhos humorísticos, críticos e satíricos, cujos personagens são tipicamente brasileiros, retratando a situação nacional da época.


Henfil era hemofílico e contraiu Aids através de uma transfusão de sangue.


Principais obras

Diário de um cucaracha - 1976
Hiroxima, meu amor - 1976
Dez em humor - 1984
Diretas Já - 1984
Henfil na China - 1984
Fradim de libertação - 1984
Como se faz humor político - 1984


Personagens mais famosos

Fradim Baixim, Fradim Cumprido, Graúna, Capitão Zeferino, Bode Francisco Orelana.


Homenagem

Seu nome foi dado ao Jardim Municipal Henfil Escola


Poemas

Diretas Já


'Se não houver frutos
Valeu a beleza das flores
Se não houver flores
Valeu a sombra das folhas
Se não houver folhas
Valeu a intenção da semente'.

 

Oração ao pé feminino

'Vem com pés de lã passear pelo meu peito.
Vem de manso ou de repente, pé de anjo, vem de qualquer jeito
Domar o meu espanto
de ser subjugado sob os pilotis das coxas do objeto amado.
Vem com uma pulseira de cobre nos artelhos,
exorcizar os mil demônios
que se enroscam entre os meus pentelhos.
Vem ser lambido, lambuzado, entre os dedos,
vem girar os calcanhares no meu rosto,
torturador sádico
querendo extorquir segredos.


Vem me submeter a tua tirania sem idade,
vem violentar
e ser violentado,
cair de pé, em pé de igualdade.
Vem com teu exército de dedos sobre mim perplexo.
Vem pedestal.
Vem sereníssimo esmagar a cabeça de serpente do meu sexo'.

 

 

 

 

Enviar link