Destinos

Santana dos Montes

Apresentação

O lema "Cidade Natureza", adotado pelo local, expressa bem a realidade do seu território. Rodeada pela serra do Espinhaço, Santana dos Montes tem o privilégio de estar em junção do cerrado com a mata atlântica. Imponentes construções coloniais ainda abrigam fazendas produtivas, das quais algumas foram transformadas em hotéis fazenda e se instalaram em restaurados casarões do século 18, que conservam amplas áreas verdes e a história da região.


As festas religiosas, como a da Padroeira Senhora de Santana, movimentam todos os fins de semana do mês de julho, quando acontecem eventos como apresentações de música barroca e seresta no largo da Matriz. Acontecimentos religiosos, como a Festa do Rosário e a de Santa Efigênia, atraem visitantes interessados em ver o congado e os festeiros. Entre o Natal e o dia 6 de janeiro, a Folia de Reis vai de casa em casa anunciando a chegada dos Reis Magos.


Com uma população estimada em quatro mil habitantes, o município continua sendo uma pequena e hospitaleira cidade de Minas, rodeada pelo "mar" de morros verdes, que lhe dão o nome.


História

O antigo arraial do Morro do Chapéu originou-se no auge do Ciclo do Ouro, nas primeiras décadas do século 18. Ao contrário da maioria das localidades ligadas a esse ciclo econômico, não foi a atividade mineradora que impulsionou seu povoamento, mas, sim, a agricultura e a pecuária. As fartas águas do alto do rio Piranga regavam as terras férteis para a produção de alimentos que sustentavam os homens que trabalhavam na extração do ouro nas cidades próximas. Essa produção deu origem a um intenso tráfego de tropas que transportavam alimentos e traziam bens necessários aos moradores da região.


Os caminhos vicinais da Estrada Real foram utilizados pelos tropeiros para chegar às fazendas, que, na metade do século 18, dominavam a paisagem, com suas casas grandes e senzalas, engenhos, moinhos e outros tipos de estrutura produtiva. Essas fazendas recebiam os viajantes e os tropeiros, que ali negociavam seus produtos, alimentavam-se e hospedavam-se.


Em consequência do sucesso da atividade rural é que se inicia a ocupação urbana no Morro do Chapéu. Até hoje a Igreja de Santana, de 1749, e os casarões do largo da Matriz são testemunhas desse passado colonial.


Conforme a Lei Estadual nº 184 de 1840, foi criado um distrito com a denominação "Santana do Morro do Chapéu", pertencente à Queluz, atualmente Conselheiro Lafaiete. Em dezembro de 1874, o distrito passou a ser freguesia, e em 7 de setembro de 1923, alterou sua denominação para "Morro do Chapéu". Em 31 de dezembro de 1943, o Decreto-Lei nº 1.058 alterou novamente o nome da freguesia, que passou a se chamar "Catuá". A atual denominação "Santana do Montes" só foi decretada pela Lei nº 336, de 17 de dezembro de 1948. Em 12 de dezembro de 1953, a Lei Estadual nº 1.039 elevou o povoado de Joselândia (ex São José do Carrapicho) a distrito, e, nove anos depois, em 30 de dezembro de 1962, com o Decreto-Lei nº 2.764, Santana dos Montes foi elevado à categoria de município, desmembrando-se de Conselheiro Lafaiete.


Hoje o município é composto da sede e do distrito de Joselândia. A origem do nome do município está na veneração que o povo tinha à Senhora de Santana, sua padroeira, e aos muitos morros que circundam o município, formando uma cadeia de montanhas, em formato de um chapéu.


Fonte: Secretária de Turismo e Cultura de Santana dos Montes

Enviar link

Região Turística
Central
  • Prefeitura
  • rua José Teixeira de Araújo, 33 - Centro
    31  3726-1128


    Prefeito
    Amadeu Antônio Ribeiro
    Vice-Prefeito
    Alair Rodrigues Pereira

  • Cidades próximas:
  • Barbacena
  • Caranaíba
  • Conselheiro Lafaiete
  • Cristiano Otoni
  • Lagoa Dourada
  • Lamim