Destinos

Rio Piracicaba

Apresentação

Rio Piracicaba é o município da fé centenária que atrai multidões, das igrejas e da diversidade religiosa. Dos campos sempre verdes, onde centenas ganham a vida e outras centenas transformam natureza em lazer. Piracicaba da riqueza do minério e de um povo trabalhador. Terra de oportunidades e criatividade de quem sabe fazer diferente. Lugar para se conhecer a pé, para passar as tardes de final de semana nas praças com os amigos, para aproveitar os bares enquanto se desenrola um bom bate-papo. Rio Piracicaba do calor do verão e do friozinho típico do inverno, do rio que corta a cidade e a batiza com seu nome. Cidade da neblina que a mantém adormecida até às nove da manhã.


Quem vive aqui se apega e sente a cidade no seu dia-a-dia, nos acontecimentos, nos encontros, no trabalho, no jeito de ser. E quem não mora mais por essas bandas nunca deixa de voltar para rever os amigos, a família, curtir as festas, as tradições e manter os laços bem amarrados.


Como várias outras cidades mineiras suas origens estão relacionadas à busca incessante por ouro nas Minas Gerais, fenômeno ocorrido principalmente no final no século 17 e princípio do século 18. Naquele período, várias expedições desbravavam os sertões do centro sul da colônia na busca por índios e, principalmente por metais preciosos. Essas expedições chamadas de bandeiras foram responsáveis pelo início do povoamento da futura capitania das Minas Gerais. Em Rio Piracicaba não foi diferente.

Os registros históricos daquela época são praticamente nulos. O pouco que se sabe é proveniente da história contada em alguns livros e através da sabedoria popular. Conta-se que os primeiros a chegar às terras onde hoje está a cidade de Rio Piracicaba foram bandeirantes liderados por José de Camargos,

Pimentel, explorador da época, que concentrou por muitos anos suas atividades na região onde é hoje o município de Mariana. Com o esgotamento de ouro naquela localidade, Pimentel decidiu empreender nova jornada em busca de mais riquezas, chegando à região da atual Rio Piracicaba em 1704.


Os córregos da região logo se mostraram abundantes em ouro, pois cortavam lugares ainda inexplorados. Pimentel e seu grupo iniciaram as atividades mineradoras e trouxeram mais homens. Tempos depois, alguns grupos e famílias já habitavam as terras e o garimpo de ouro logo cresceu. Surgiram também outras atividades necessárias para a subsistência da comunidade como criação de gado, lavoura e pequenos comércios.


Tão logo o lugar começou a ser de fato habitado, a primeira igreja e o primeiro cemitério também precisarem ser construídos. A primeira construção religiosa que se tem notícia foi uma capela para Santo Antônio. Consta-se que foi edificada na região do atual bairro Mariana de Vasconcelos, popularmente conhecido como Chacrinha. Isso porque, na época, o explorador José de Camargos Pimentel cedeu parte de sua chácara para a construção da capela e de um cemitério em volta. Surgiram então a Capela de Santo Antônio e o Cemitério da "Chacrinha". Nessa época também há relatos de povoamento na região central, em Bicas e na localidade de Ponte Saraiva.


Nova descoberta
José de Camargos Pimentel faleceu em 1712. Um ano após a sua morte e já com alguns habitantes na região dos córregos que desciam do morro Agudo, outro explorador surgiu em busca de ouro. João dos Reis Cabral chegou em 1713 e montou um acampamento próximo a um pequeno rio. Tradição naquela época, o veio d'água foi batizado com o nome do santo do dia e daí surgiu o Córrego de São Miguel.

A partir da chegada de Cabral a vila passou a atrair mais pessoas, entre comerciantes, garimpeiros, famílias e padres, que foram responsáveis pela construção de capelas e igrejas. A elevação da vila aconteceu em 1752, nascendo o distrito de São Miguel do Piracicaba, vinculado à cidade de Santa Bárbara. A emancipação política viria muitos anos mais tarde, em 1911.
A discussão em torno do real ano de fundação de Rio Piracicaba é longa. A data correta permanece uma incógnita, principalmente pela falta de elementos históricos. Porém oficialmente, o município celebra o seu aniversário no dia 29 de setembro, considerando a chegada de João dos Reis Cabral como marco inicial da história de Rio Piracicaba. Mesmo assim, entre os conhecedores da trajetória piracicabense, a data de fundação ainda persiste como dúvida, mas o que não se nega é que isso torna a história da cidade ainda mais interessante.


Se algo é latente e característico do povo de Rio Piracicaba não há dúvidas: é a fé. Basta caminhar pela cidade e olhar para os lados e verá que, em cada canto, há algo que remeta à religiosidade. Independente da crença, a diversidade é perceptível pelas inúmeras igrejas e templos construídos no município e também pelos eventos e demonstrações religiosas que ocorrem ao longo do ano.


Imponentes, somente na região central da cidade, duas igrejas católicas são destaque: Rosário e a Matriz de São Miguel. A quase um quilômetro do centro, localizada no alto de um morro, outra igreja chama a atenção: a igreja do Senhor Bom Jesus, onde atualmente ocorre o principal evento religioso da cidade, o Jubileu, que atrai milhares de fiéis de vários locais do país em busca de milagres ou simplesmente por devoção. Ainda pelo centro da cidade há a gruta de Nossa Senhora da Conceição e a capela do Senhor do Bonfim. Em alguns pontos mais altos do município é possível avistar de uma só vez as três principais igrejas. "Essa tradição religiosa é de muito valor, a fé está entranhada na vida desse povo. Rio Piracicaba e a Paróquia São Miguel perderiam a essência se deixassem de existir as inúmeras festas religiosas. O que seria de Rio Piracicaba sem a Festa do Bom Jesus?" Padre Nivaldo Souza Aranda.


Rio Piracicaba possui 373 Km² de área territorial, considerada relativamente grande para um município que possui uma população de pouco mais 14 mil habitantes. Com um núcleo urbano pequeno, mas que abriga 79% dos moradores há que destacar a importância que a área rural tem para a cidade.


Além dos habitantes e produtores, a zona rural de Rio Piracicaba também é reduto de centenas de pessoas da região que possuem sítios, chácaras e fazendas onde descansam. Muitos são alugados por final de semana ou temporada.


Riachos, cachoeiras, trilhas são facilmente encontradas por qualquer direção que se vá município adentro. O relevo faz jus à fama mineira devido ao terreno montanhoso. Com características como essa, o município é ideal para prática de esportes como moutain biking, motocross, trekking, corrida, enduro, entre outros. Em maio, por exemplo, jipeiros da região se reúnem para o tradicional Enduro do Jubileu, percorrendo trilhas pela zona rural.


Cachoeiras também enriquecem a natureza piracicabense. A cachoeira de Caxambu, no distrito de Padre Pinto, e a do Talho Aberto, na região do Morro Agudo, em direção à Serra do Seara, são as mais conhecidas.

 

Enviar link

Região Turística
Central
  • Prefeitura
  • praça Coronel Durval de Barros, 52 - Centro
    31  3854-1261
    CEP 35940-000

     

    Site Oficial

     

    Prefeito
    Gentil Alves Costa
    Vice-prefeito
    Geraldo Guimarães -Quinha

  • Cidades próximas:
  • Alvinópolis
  • Bela Vista de Minas
  • Dom Silvério
  • Itabira
  • João Monlevade
  • Nova Era
  • Ponte Nova
  • São Gonçalo do Rio Abaixo