Turismo

Estrada Real

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

Primeiros Socorros

Conhecimento de primeiros socorros, mesmo que de maneira superficial, é uma peça fundamental na bagagem de um ecoturista. Toda atividade ecoturística, por mais segura que pareça ser, envolve riscos de lesões corporais. A seguir, abordaremos objetivamente uma seqüência de procedimentos para aquelas situações de emergência mais comuns na vida de um praticante do ecoturismo. Para aqueles interessados em conhecer mais sobre o assunto, aconselhamos a consulta de livros técnicos especializados.


A. Atendimento inicial de uma vítima de lesão corporal ou enfermidade

1. Mantenha a calma e tente acalmar a vítima e as outras pessoas presentes no local. Lembre-se que a agitação e o pânico normalmente presentes numa situação de emergência prejudicarão em muito a sua capacidade de raciocinar.


2. Faça um exame físico inicial da vítima, observando os seguintes itens:
* Ela está acordada ou desacordada? Se estiver acordada, transmita-a a máxima segurança possível.Isto ajudará a acalmá-la. * Ela está respirando? Apalpe o pulso no punho ou no pescoço da vítima.
* Existe alguma lesão externa?
* Existe alguma hemorragia?
* Existe algum sinal de fratura?


3. Realize as manobras de primeiros socorros de acordo com os achados do exame físico inicial.


4. Faça a remoção da vítima para o centro médico mais próximo, após execução dos primeiros
socorros.


B. Guia de Procedimentos para Diferentes Situações de Emergência


Hemorragias

Hemorragias superficiais:
1. Faça uma pressão sobre o ferimento utilizando uma compressa, gazes ou lenço limpo;
2. Amarre essa compressa com uma tira de pano, evitando apertá-la demais, o que levaria à interrupção
do fluxo de sangue nessa região;
3. Não remova a compressa até que a vítima chegue ao hospital.


Hemorragias devido a lesões graves:

(esmagamento, dilaceração e amputação de membros)
1. Faça um torniquete na base do membro acometido (o torniquete deve ser feito com tira de pano de, no mínimo, 05 cm de largura);
2. Aperte o torniquete até estancar a hemorragia;
3. A cada 15 minutos, afrouxe o torniquete por um curto intervalo de tempo, a fim de que o sangue circule pelas células localizadas abaixo do mesmo;
4. Leve a vítima ao hospital imediatamente.


Hemorragias internas:

A vítima apresenta, nesses casos, sinais como: pele fria e pálida, suores, fraqueza, pulso fraco, sede.
1. Deixe a vítima deitada, com a cabeça mais baixa que o corpo;
2. procure assistência médica.


Paradas Cardíacas e/ou Respiratórias

Essas duas situações de emergência podem ocorrer simultânea ou isoladamente. Quando presentes de forma isolada, uma levará, inevitavelmente, à ocorrência da outra, se a vítima não for socorrida imediatamente. Dessa forma, esteja preparado para realizar as manobras de ressuscitação cárdio-respiratórias sempre que necessário.


Parada respiratória:
A vítima apresenta-se: inconsciente; sem movimentos respiratórios do tórax; com lábios e dedos arroxeados. 
1. Deite a vítima de costas e afrouxe suas roupas;
2. retire os objetos da boca da vítima (dentaduras, por exemplo);
3. incline a cabeça da vítima para trás;
4. abra a boca da vítima e feche as narinas da mesma usando os dedos polegar e indicador.;
5. coloque sua boca em torno da boca da vítima;
6. sopre, até notar que o peito da vítima está levantando;
7. retire sua boca e permita que o ar saia naturalmente;
8. repita o procedimento logo em seguida.


Importante:

* Não interrompa esta manobra de suporte respiratório até que a vítima receba assistência hospitalar ou que volte a respirar espontaneamente.

Parada cardíaca:
A vítima apresenta-se: inconsciente; pálida; sem pulso (verificá-lo nos punhos ou no pescoço).
1. Deite a vítima de costas em uma superfície plana e firme;
2. ajoelhe-se ao seu lado (de preferência do lado direito da vítima);
3. coloque sua mão sobre a região central do tórax da vítima, mais especificamente sobre o osso esterno;
4. apoie sua outra mão sobre a primeira e, com os braços esticados e usando o peso do seu próprio
corpo, faça a massagem cardíaca, realizando pressão sobre o tórax da vítima de maneira rítmica;
5. faça uma massagem cardíaca a cada 02 segundos.


Paradas cardíaca e respiratória - simultâneas:

1. Faça 02 respirações boca-a-boca e, em seguida, 15 massagens cardíacas, e assim sucessivamente quando você é o único socorrista;
2. se você tem o auxílio de outro socorrista, faça 01 respiração boca-a-boca para cada 05 massagens cardíacas executadas pelo seu auxiliar.

Ferimentos  Superficiais
1. Lave a ferida com água limpa e sabão neutro ou com soro fisiológico;
2. proteja o ferimento com gaze (evite algodão);
3. mantenha o curativo limpo e seco, trocando-o sempre que necessário;
4. evite o uso de medicamentos como iodo ou mercúrio sobre o ferimento.

Corpos Estranhos no Organismo


Nos olhos:

1. Feche o olho atingido e aguarde por algum tempo até que ocorra formação de lágrimas. Às vezes a própria lágrima lava o olho, livrando-o do corpo estranho;
2. se o processo acima falhar, vire a pálpebra superior para cima e/ou a pálpebra inferior para baixo, e retire o corpo estranho com cotonete limpo e úmido.


Nos ouvidos:

1. Se o corpo estranho é um inseto, puxe a orelha para trás e dirija um feixe de luz para o interior do canal auditivo . O inseto sairá na direção da luz;
2. se o inseto não sair, coloque óleo de cozinha ou azeite no ouvido, mantendo-o para cima. Após algum tempo, vire a cabeça para baixo. O  óleo sairá, carregando consigo o inseto.


Fraturas

Os sintomas mais comuns são: dor forte no local atingido; inchaço; dificuldade de movimentação do membro acometido; hematoma; deformidade do membro.
1. Não tente colocar o osso no lugar;
2. mantenha o membro na posição mais natural possível;
3. se possível, aplique gelo no local fraturado para diminuir o inchaço;
4. imobilize o membro fraturado, utilizando para isso uma tala, que pode ser improvisada com um pedaço de madeira, estaca, papelão ou jornais dobrados e enrolados;
5. o comprimento da tala deve ultrapassar as articulações acima e abaixo do local da fratura;
6. a tala deve ser amarrada com tira de pano acima e abaixo das articulações do osso; não amarre a tala no local da fratura.


Fratura na coluna vertebral e no pescoço:

Essa é uma fratura grave e que pode levar à paralisia de membros ou mesmo à parada respiratória. Seus sintomas são: dor muito forte na região do pescoço ou da coluna; formigamento, paralisia e perda de sensibilidade nos membros.
1. Deite a vítima em superfície plana, evitando que ela faça qualquer tipo de movimento com a
cabeça;
2. não deixe que ninguém a tire dessa posição;
3. imobilize o pescoço da vítima, envolvendo-o com uma toalha enrolada (mas cuidado para não apertar excessivamente);
4. aguarde a chegada do socorro especializado. Em caso de ter que transportar a vítima até um local onde o socorro possa chegar, carregue-a  com o auxílio de outras três ou quatro pessoas, tomando cuidado para que ela fique sempre na posição horizontal.


Picadas de Animais Peçonhentos

Ao adentrar em uma região onde esses animais estão presentes, lembre-se: ali, você é um ser invasor. Portanto, ao encontrar um animal peçonhento, nunca mate-o ou maltrate-o. Esses animais têm a  tendência natural de fugir do ser humano, e somente o atacarão naquelas situações em que se sentirem ameaçados. As cobras, escorpiões e aranhas fazem parte de um ecossistema; dessa forma, eles têm sua importância para aquele meio ambiente. Proteja-se contra picadas de cobras, escorpiões e aranhas, usando botas de cano alto todas as vezes que transitar em locais onde eles possam existir.


Caso ocorra picadas de animais peçonhentos:
1. Deite a vítima e a mantenha calma;
2. não permita que a vítima faça qualquer esforço físico (a movimentação facilitará a absorção do veneno pela corrente sangüínea, o que o levará a ser difundido para todo o organismo);
3. lave o local da picada com água corrente;
4. capture o animal agressor com muito cuidado. Isso permitirá a identificação da espécie (para cada espécie de animal peçonhento existe um soro específico);
5. juntamente com outras pessoas, leve a vítima imediatamente ao hospital.


Importante:

* Nunca faça torniquete: isto aumenta risco de necrose tecidual e/ou gangrena;
* Nunca fure ou corte o local da picada, pois alguns venenos podem provocar hemorragias. Além disso, você pode estar aumentando as chances de infecções locais sérias;
* Nunca aspire o local da picada com a boca - caso contrário, você estará se arriscando a se intoxicar também.
* Único tratamento eficaz contra a picada de animais peçonhentos é a administração de soro anti-veneno. Esta droga, por sua vez, deve ser utilizada unicamente em ambiente hospitalar, devido ao alto risco de desenvolvimento de reações anafiláticas.


Texto de César Pedrosa Sales - cardiologista.

 

 

Enviar link