Turismo

Estrada Real

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

Dicas de Cicloturismo

Ecologia, saúde, aventura, ecologia ... pedale esta idéia!!!


A expedição cicloturística é sempre uma viagem interessante e diferente. E justamente por ser diferente, alguns cuidados precisam ser observados, para que tudo possa correr bem. Serão apresentados, a seguir, os requisitos básicos para uma expedição bem sucedida.


Para uma viagem bem sucedida é preciso ter uma bicicleta tipo 'mountain bike', em bom estado de conservação, bem lubrificada e adequadamente regulada, e também de alguns equipamentos indispensáveis, que são: mochila para trekking (ou alforje com garupeira), espelho retrovisor, bomba de encher pneu, capacete, bermuda própria para ciclismo, kit de ferramentas básicas (chave de fenda, chave Alen, alicate, chave de corrente, material de reparo de câmara de pneu, câmara de pneu de reserva, óleo lubrificante), garrafa(s) d'água, óculos, faroletes dianteiro, traseiro e dos pedais.


A mochila ou alforje deve conter o menor peso possível. Lembre-se de que seu corpo será o motor que irá transportá-la.


Um quesito pouco observado pelos cicloturistas - e que exerce papel fundamental para que se obtenha sucesso na expedição - é a boa alimentação. Alguns alimentos são ricos em glicose, como os pães, alimentos salgados, biscoitos, bananas, batatas e barras energéticas para atletas. Procure comprar e consumir esses alimentos em todas as cidades por onde passar. Esses produtos, além do bom valor calórico, têm fácil digestibilidade, ou seja, levam pouco tempo para serem digeridos, evitando assim que fiquem por muito tempo armazenados no estômago, o que pode provocar náuseas e até vômitos quando se tenta realizar um exercício físico vigoroso.


Em relação à água, beba-a abundantemente. Tenha consigo no mínimo duas garrafas de água. A água é o solvente onde todas as reações metabólicas de nosso corpo se processam. Portanto, a água deve ser consumida a todo instante.


Durante as viagens cicloturísticas, muitas vezes nos deparamos com nascentes de águas límpidas nas regiões montanhosas. Observe se essa nascente atravessa áreas de pasto de gado ou áreas residenciais, o que aumentaria o risco de contaminação por fezes animais e humanas. Em caso positivo, não beba dessa água, a não ser que você disponha de pastilhas de cloro ou filtros d'água portáteis, produtos  comercializados em casas especializadas do ramo.


À noite, após terminado o percurso daquele dia, faça uma boa alimentação com massas, verduras, legumes (fontes de carboidratos, fibras e vitaminas) e carnes magras (fontes de proteínas). Lembre-se que tudo que seu corpo precisa, e em concentrações adequadas, pode ser encontrado em uma saudável e balanceada alimentação.


Todo cicloturista deve zelar por sua segurança usando capacete e tendo um bom conhecimento de legislação de trânsito. Quando se pedala em estradas asfaltadas, deve-se sempre permanecer na faixa da direita (de baixa velocidade) e na mão de direção (nunca na contramão). Toda mudança de faixa deve ser sinalizada com a mão. Enquanto estiver nas ruas dos centros urbanos, procure respeitar as leis de trânsito daquela cidade, evitando, assim, atritos com os motoristas. E, nas estradas de terra, por menos movimentada que pareça ser, também é prudente permanecer na pista da direita, estando sempre alerta para os sons de automóveis que possam estar se aproximando. Nunca abuse do excesso de velocidade. Um motorista pode bater em um automóvel a 40 Km/h e não sofrer nenhum ferimento. Um acidente de bicicleta com a mesma velocidade pode, por sua vez, trazer danos gravíssimos ao ciclista.


Nada melhor, antes de iniciar a expedição cicloturística, do que ter em mãos todo o planejamento da viagem. É sempre bom realizar o levantamento das distâncias a serem percorridas, do tipo de via a ser utilizada (estradas asfaltadas, de terra ou trilhas), do relevo do local (montanhoso, plano), da possibilidade de se encontrar água potável ao longo do trajeto, da extensão das cidades que serão visitadas. Algumas dicas importantes são: não pedale mais que 50 quilômetros em um dia, pois a viagem pode se tornar extremamente cansativa; procure viajar, a cada dia, de uma cidade para outra, pois assim você poderá encontrar locais para dormir (pensões, pousadas) e para jantar no final do dia. Se houver possibilidade de dormir nas cidades, evita-se ter de transportar barraca, saco de dormir e excesso de alimentos, o que diminui o peso de sua bagagem. O cicloturismo é uma possibilidade de se conhecer novos locais e novas culturas, e nunca uma competição. A velocidade média de viagem em estrada de terra é de 12 a 15 Km/h, enquanto que, no asfalto, ela varia de 20 a 25 Km/h. Tenha em mente que essa média pode cair nos trajetos muito montanhosos.


Depois de todas essas dicas, é hora de você programar seu roteiro, convidar os amigos para uma expedição cicloturística e descobrir o mundo pedalando o meio de transporte mais ecológico já desenvolvido. Pedale com a consciência de que você estará conhecendo e desfrutando da natureza e, acima de tudo, respeitando-a, o que é, nos dias de hoje, mais que uma obrigação de cada um de nós.

 

 

Enviar link

© Henry Yu Nova Lima - Biking - Henry Yu Biking
© Henry Yu Praticando Mountain Biking - Henry Yu Praticando Mountain Biking
© Henry Yu Off-Road - Henry Yu Off-Road
© Alexandre C. Mota Carrancas - Marquinho com GPS – marcação de localidade - Alexandre C. Mota Marquinho com GPS – marcação de localidade
© Gui Figueredo Proj. Expedição Estrada Real - Gui Figueredo Proj. Expedição Estrada Real
© Gui Figueredo Proj. Expedição Estrada Real - Gui Figueredo Proj. Expedição Estrada Real
© Gui Figueredo Proj. Expedição Estrada Real - Gui Figueredo Proj. Expedição Estrada Real
© Filipe Guidini Brumadinho - Região do Retiro das Pedras - Filipe Guidini Região do Retiro das Pedras