Turismo

Estrada Real

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

A poética dos caminhos IV

Continuação...

- XIX -

Na fazenda do João Brandão
o Rio dos Peixes
corre em paz
no espelho do meio dia.
Antes reviravam todo o seu leito
procurando pedras preciosas.
Agora qualquer pedra é lucro
e a areia lavada é roubada
(foi o que os nossos olhos viram
seguindo teu curso).
Por aqui
O rio tem encanto
e protegido
se mostra
como quem espera
os cardumes.
- É agora, João!
 
- XX -

No caminho de Pilar
descendo um Morro
tem uma Ponte Alta.
Lá em baixo
água e pedra
ornamentadas de luz
e samambaias
que choram
enquanto dançam
a música das correntezas.
Na Ponte Alta
o astral
vem do espaço cósmico
e trabalhado pelas mãos
de algum apaixonado.
 
- XXI - 

- Me diga, seu moço
 pra onde vai seu caminhão
 carregado de candeia?
 - Vou pra Pila descarregar.
 - E como será usada tamanha madeirada?
 - Ah! Vai ser toda triturada amassada
e o sumo cheiroso vai pra algum
lugar desse mundo
que nem o Prefeito
sabe o destino...
E o 1113 sumiu
na poeira
descendo a ladeira
que vai pro
Morro do Pilar.
A estrada cruzou o Rio Picão
que agora canta espantado
com a música mais presente
do eucaliptal.
- Chamem o Intendente
pra contar a estória desse lugar!
 
- XXII -

A máquina do André
(fotógrafo da Expedição)
rolou em câmara lenta
escada a baixo.
No semblante dele
o mesmo da mãe
do Encouraçado Poltekin.
Quis pilá o morro
quis morrer de dó.
O galo rouco
não cantou
por três dias...
 
Mato
dentro do Mato
a névoa da manhã
é temperada de verde alegria.
Num galho
da gameleira grávida
o João trabalha o barro
compenetrado.
Pichanchão anda pelo chão da estrada.
De repente, beirando o Rio Mata Cavalo
uma batida de um pé só
fez a cachorrada vazá.
Da manhã
brotou o silêncio.
Um redemoinho
azulado
saiu de dentro da mata
e parou a nossa frente
do mesmo jeito que veio sumiu.
No lugar dele
deixou um menino preto e magro
com um corte de cabelo feito gorro.
Disse que ia pra festa
algumas léguas à frente
e quando saiu de casa
no Umbigo do Espinhaço
a mãe falou num repente:
- Não vá longe!
- É longe que eu quero ir, respondeu.
Quando soube do trajeto da Expedição, exclamou:
- Vocês vão penar uma dúzia!
E foi embora
do mesmo jeito que veio
no redemoinho do tempo.
Disse se chamar Isaías
(mas nenhum Caminhante acreditou!...)
 
- XXIII -

Isso não é ferro
nem é terra
é a terra
quase ferra.
 
- XXIV -

O Rio Santo Antônio é medonho
A beleza foi com a areia roubada
Deve ser por isso que os corpos das almas
florescem e os urubus voam
ao redor (e todo rio é santo).
- Pra ele a vida
é morte e a morte
é meio de vida.
- Quem, Pepe Smith,
os assaltantes de rios
ou os urubus?



 

Enviar link