Parques

Parque Estadual da Serra do Rola-Moça

Apresentação

  • Nova Lima - Sinalização Pq. Rola-Moça - Divanildo Marques
  • Nova Lima - Sede Administrativa Pq. Rola-Moça - Divanildo Marques
  • Nova Lima - Sede Administrativa Pq. Rola-Moça - Divanildo Marques
  • Nova Lima - Portaria Pq. Rola-Moça - Divanildo Marques
  • Nova Lima - Sinalização Pq. Rola-Moça - Divanildo Marques
  • Belo Horizonte - Serra do Rola-Moça - Janaina Oliveira
  • Belo Horizonte - Serra do Rola-Moça - Janaina Oliveira

Municípios de Abrangência
Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho.


Portaria

A portaria está localizada no final da rua Montreal s/n,bairro Jardim Canadá, município de Nova Lima. Acesso pela BR 040.


Distância de Belo Horizonte ao Parque Estadual da Serra do Rola-Moça 

25 km do bairro Savassi.


Como Chegar

Saindo de Belo Horizonte, pegar a BR- 040 no sentido Rio de Janeiro. Entrar à direita no Posto Chefão,  2ª rua à direita (rua Montreal), bairro Jardim Canadá. Prosseguir até a portaria principal do parque. A distância do Posto Chefão ao parque é de cerca de 3 km, em estrada de terra.


Sede Administrativa
Inaugurada em 27 de novembro de 1998 está instalada próxima a portaria.
Avenida Montreal, s/nº, bairro Jardim Canadá - Nova Lima
Telefone: 31 3581-3523 / 3782


Infraestrutura

Interna
O Parque possui um Centro de Informação e Administração situado na área que abrange o município de Nova Lima, com auditório para 80 pessoas, salas para reuniões,sala de monitoramento e Polícia Militar do Meio Ambiente. O Parque ainda conta com um sistema de vídeo-vigilância de alta tecnologia, propiciando a detecção de focos de incêndio e outras ocorrências. Este sistema é inédito nos parques estaduais e federais brasileiros.


Existe também na área do Barreiro o Sistema Integrado de Combate e Prevenção a Incêndios Florestais em parceria com o Corpo de Bombeiros. O Centro monitora brigadas constituídas por funcionáros da Copasa, do IEF, empresas pareceiras, condominios no entorno e voluntários.


Entorno

Os visitantes podem contar com a infraestrutura turística tanto de Belo Horizonte quanto de Nova Lima, mas, restaurantes, lanchonetes e um pequeno shopping são encontrados no bairro Jardim Canadá. Na localidade de Casa Branca (Brumadinho), distante 10 Km da sede do parque, existem pousadas para um bom descanso no final de semana, além de restaurantes.


Horário de Funcionamento
7h às 18h
Visitas técnicas e pedagógicas e requisição do auditório devem ser agendadas previamente pelos telefones (31) 3581-3131.


Área
40,06 Km²


Criação

Criado pelo Decreto Estadual n° 36.071, em 27 de setembro de 1994.


Objetivo

O Parque foi criado para proteger a biodiversidade e seis importantes mananciais de água ali existentes: Taboões, Rola-Moça, Bálsamo, Barreiro, Mutuca e Catarina. Declarados pelo governo estadual como Áreas de Proteção Especial, essas áreas garantem a qualidade dos recursos hídricos e abastecem parte da população da região metropolitana. Para assegurar a proteção desses mananciais, a área correspondente não está aberta à visitação pública. 


A Lei Federal 9.985, de 18 de julho de 200 e o Decreto Federal nº 4.320, de 22 de agosto de 2002, instituíram o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza -SNUC. O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça tornou-se então Unidade de Proteção e Conservação Integral da Naureza. Em razão da Lei, tornou-se necessário maior rigor na preservação do parque.    


Descrição
Situado dentro da região metropolitana, ele proporciona ao visitante gostosas oportunidades de desfrutar a natureza junto a uma vegetação muito especial, com paisagens características de mata atlântica, cerrado, campos de altitude e campos ferruginosos. Em alguns pontos, a topografia possibilita vistas panorâmicas de excelente apelo visual. É o caso do Mirante morro dos Veados, situado na metade do percurso na estrada que corta o parque para chegar ao distrito de Casa Branca, em Brumadinho.


Relevo
O Rola-Moça possui relevo acidentado, de fortemente ondulado a montanhoso. Dentro do Parque estão as seguintes serras: serra do Rola Moça, serra do Jatobá, serra do Cachimbo e serra da Calçada.


Clima

Cercado por serras, o clima do Parque apresenta um inverno muito rigoroso, apesar da sua temperatura média ser bem amena, por volta dos 25°C.


Vegetação

O Parque apresenta uma zona de tensão ecológica, isto significa a ocorrência de transição rápida de mata atlântica para cerrado e campos de altitude. A vegetação é diversificada: são encontradas espécies como: ipê, cambuí, aroeira branca, xaxim, sangra d'água, canela, unha-de-vaca, pau-d'óleo, quaresmeira, cangerana, cedro, carne-de-vaca, cambotá, pau-ferro, pequi, jacarandá do cerrado, ipê-cascudo, murici, jatobá-do-cerrado, pau-santo, pau-de-tucano, araticum e canela-de-ema.


Fauna

O Rola-Moça é habitat natural de espécies da fauna ameaçadas de extinção como: onça parda, jaguatirica, gato mourisco, gato do mato, lobo-guará, raposa, mão-pelada, coati, irara, lontra, ouriço, preá, tamanduá-de-colete, tatu-peba, tatu-galinha, caititu, veado catingueiro, veado campeiro, guigó e mico-estrela.


O que ver e fazer
Os atrativos do parque são mirantes e trilhas para caminhadas. Dos mirantes, têm-se ótimas vistas, uma mais bonita que a outra. Existem ângulos de onde se pode observar a área preservada do Parque e a malha urbana, bom momento para reflexão sobre preservação do nosso patrimônio natural e sobre o crescimento de Belo Horizonte.


Estrada Velha
Trilha com início, a partir da sede administrativa do parque, seguindo pela estrada interna do parque sentido Brumadinho. A antiga estrada mede 1.900m e era utilizada por uma mineradora que explorava minério de ferro na região. Eventualmente, é usada para realização de trilhas monitoradas com grupos de estudantes, quando são abordados temas como vegetação, geologia e relevo.


Manancial Catarina
Um dos mais belos mananciais de captação de água do parque, situado em meio a uma área remanescente de mata atlântica. Ali existe um lago com 12 metros de profundidade, apelidado de lagoa Azul. Só é permitida visita com agendamento prévio. Requer autorização e acompanhamento de guia. 


Manancial Tabões
Próximo à estrada de acesso ao município de Ibirité, é um lugar de grande beleza cênica, em meio a remanescentes de mata atlântica em área bem preservada. Possui um lago onde é possível observar os peixes. Requer autorização prévia e acompanhamentos de guia.


Mirante dos Planetas
Fica a cerca de 1.439 m e de lá é possível avistar campos de altitude e matas de galeria e cerrado. Destacam-se na paisagem as canelas-de-ema, espécie da flora do parque, os campos ferruginosos e serras divisoras de água.


Mirante Morro dos Veados
Localizado a 1.396 m, permite ampla visibilidade da região de Brumadinho. Ao norte, é possível observar a lagoa da Petrobrás, as terras do manancial do Barreiro (bairro de Belo Horizonte), Ibirité, o cinturão verde e Belo Horizonte.


Mirante Três Pedras
Fica cerca de 1.400 m e de lá é possível avistar Belo Horizonte e as serras do entorno, assim como a paisagem de campos ferruginosos e matas de galeria e cerrado.


Trilha da Travessia
Inicia na região do Barreiro e termina no manancial do Mutuca, no município de Nova Lima. Durante o trajeto, observa-se a diversidade da fauna e flora da região, com destaque para espécies da mata Atlântica e do cerrado. Na área da cachoeira das Duas Quedas, o visitante depara com uma queda d'água de aproximadamente 3 m. Abaixo, há outra cachoeira com quatro metros de queda. Requer autorização prévia e acompanhamento de guia.


Extensão: 12 km
Grau de dificuldade: médio


Trilha das Pitangueiras
Passa por um curso d'água que forma a cachoeira das Pitangueiras. Depois, vale caminhar por mais 200 metros até a queda d'água. Requer autorização prévia e acompanhamento de guia.


Extensão: 4,8 km
Grau de dificuldade: médio


Trilha do Cerrado
Nela, o visitante pode contemplar a diversidade do cerrado e avistar espécies como canela-de-ema e arnica.

Extensão: 1,7 km
Grau de dificuldade: baixo. 


Campo Ferruginoso

Trata-se de um grande atrativo do parque. Recentemente descrito pela geologia, o campo ferruginoso, composto de canga hematítica, é extremamente raro, sendo encontrado apenas aqui em Minas Gerais, no quadrilátero ferrífero, e em Carajás, no estado do Pará. A visita aos campos ferruginosos só é permitida com acompanhamento dos monitores do Parque.


No topo da serra do Rola-Moça, há cerca de 65 milhões de anos, o processo de alteração do itabirito, rocha rica em ferro, deu à terra uma coloração avermelhada. A área recoberta é conhecida por canga, termo originado do tupi tapanhoacanga (cabeça de negro), nome utilizado pelos índios por causa do aspecto peculiar do local. Seu solo resiste bem à erosão e permite uma boa infiltração das águas de chuvas, formando assim mananciais subterrâneos que abastecem a região metropolitana de Belo Horizonte.



Passeios nos arredores

Caminhos antigos da Serra da Calçada

A 10 km do parque. Ao longo da serra da Calçada, podem ser observados vários trechos de caminhos estreitos e antigos do século 18, utilizados pelos tropeiros no comércio entre Piedade do Paraopeba, São José, Moeda e Ouro Preto. Alguns destes trechos possuem escoras de alvenaria de pedra bem conservadas. São utilizados por ciclistas e caminhantes.


Forte de Brumadinho

A 12 km do parque. As ruínas formam uma construção quadrangular, feita de rocha maciça, que revela grande habilidade e trabalho para construí-la. Pode ser observado do alto da serra da Calçada, em Brumadinho.


Instituto Inhotim
Inhotim é um lugar em contínua transformação, onde a arte convive em relação única com a natureza. Situado em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, Inhotim ocupa uma área de 97 ha de jardins botânicos com uma extensa coleção de espécies tropicais raras e um acervo artístico de relevância internacional.


Mirante Topo do Mundo
Encravado no alto da serra da Moeda, a 1.500 de altitude. Em dias de clima seco é possível visualizar o pico do Itacolomi, localizado a mais de 80 km, no município de Ouro Preto.


Órgão responsável pelo parque
Instituto Estadual de Florestas - IEF
Rodovia Papa João Paulo II, 4.143 - Serra Verde
1º andar do Edifício Minas Gerais - Cidade Administrativa
Belo Horizonte - CEP 31630-900
Telefones: 31 3915-1752/3915-1507

Diretoria de Áreas Protegidas
Telefone: 31 3915-1345

Diretoria de Unidades de Conservação
Telefone: 31 3915-1381



É bom lembrar que

- O sol forte exige chapéu e protetor solar todo o tempo.

- O melhor período para visitação dos parques é de abril a outubro, quando chove menos.

- Alimentar é importante. Portanto, leve sempre na mochila: frutas, sanduíches, biscoitos e barras de cereais, alimentos nutritivos e práticos.

- As caminhadas longas exigem hidratação constante. Tenha sempre uma garrafa d`água na mochila.

- Um calçado apropriado e confortável para caminhar (tênis ou bota) é item obrigatório.

- O melhor é evitar fumar em um parque. Mas, se o fizer, tome cuidado com seu cigarro, apagando-o depois de fumar.

- Nada se deixa em um parque. Todo o lixo deve ser coletado e disposto nos locais apropriados.

- Nada se leva de um parque. Animais, plantas, rochas, frutos, sementes e conchas encontradas no local fazem parte do ambiente e aí devem permanecer.

- Caçar, pescar e molestar animais silvestres é crime previsto por lei. O animais precisam buscar seu próprio alimento para manter o ciclo de vida natural.

- Entrar no parque com animais domésticos, pode causar problemas como a introdução de doenças e ameaças ao ambiente natural.

- As áreas de visitação pública são restritas e, normalmente, possuem horários definidos. Os parques estaduais possuem restrição de uso de imagem. Consulte o IEF.


Regulamento Interno do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça
“Visitante, seja bem-vindo.


O Parque Rola-Moça é um patrimônio público, ou seja, que pertence a todos nós, portanto, pedimos, por gentileza, cuide dele como se fosse sua própria casa.


Mantenha seu veículo nos limites da estrada e áreas de estacionamento permitidas.


Trilhas são permitidas para ciclistas e pedestres.


Guarde pontas de cigarro apagadas no cinzeiro do carro, lixeiras ou recipientes seguros. Estas constituem grande porcentagem das causas de incêndio.


Acondicione o lixo produzido durante a visita em sacolas plásticas. Essas podem ser depositadas nas lixeiras que se encontram nas saídas. Caso não tenha sacola plástica, disponha na portaria do parque.


As nascentes e cursos d’água que se encontram no interior do Parque Rola-Moça são mananciais (captações de água), que abastecem os municípios de Belo Horizonte, Ibirité, Brumadinho e Nova Lima, não fazendo parte das áreas de visitação pública.


Este Parque não possui área de camping. A visitação deve ser feita no período diurno sem pernoite, acampamento e fogueiras não são permitidos para segurança dos visitantes e do próprio Parque Rola-Moça.


O Parque Rola-Moça possui grande valor ecológico. As plantas, insetos e animais que vivem aqui são raros, alguns só ocorrem nesta área e muitos deles estão ameaçados de extinção. A retirada de plantas, galhos, detritos, pedras, bem como, o abate de insetos e animais, alterações feitas no solo, emissão de ruídos de buzina, motores e vozerio provocam grande desequilíbrio aos ecossistemas, além de constituírem crimes ambientais previstos em lei.


Parques Estaduais  agora são áreas de preservação permanente, protegidas por leis, de onde nada se tira a não ser fotografias, nada se deixa a não ser pegadas e nada se mata a não ser o tempo.


Para mais informações, dúvidas e sugestões, procure o Centro de Informações do Parque Rola-Moça ou faça contato nas portarias. Para nós, é um grande prazer ajudá-lo a fazer sua visita com total satisfação. E lembre-se! Os infratores deste regulamento estão sujeitos às penalidades da lei. "



Crédito do texto

Guia Parques Estaduais de Minas Gerais. Editora Horizonte. 2014. Instituto Estadual de Florestas-IEF / Núcleo de Resolução de Conflitos Ambientais / Ministério Público do Estado de Minas Gerais

 

Enviar link

Região Turística
Central